Notícias
05 de fevereiro de 2019

Facebook dá mais um passo em direção às criptomoedas

O Facebook, gigante das mídias sociais, deu mais um passo em direção às criptomoedas com sua mais recente aquisição, a equipe por trás de uma startup blockchain baseada em Londres, Inglaterra, conforme mostra o artigo publicado pela News BTC.

Facebook expande sua divisão de blockchain

Segundo relatos, o Facebook silenciosamente contratou a equipe da Chainspace, uma pequena startup fundada por pesquisadores da University College London. A empresa criada por Mark Zuckerberg claramente tem ambições no ecossistema das criptomoedas e uma mudança direta para blockchain poderia ser outro indicador de que o Facebook tem planos para seus próprios produtos relacionados aos criptoativos.

A Chainspace publicou um documento oficial em agosto de 2017 detalhando seus planos para uma “plataforma de contabilidade distribuída para processamento de transações de alta integridade e transparência dentro de um sistema descentralizado”. Embora muito vago, o conceito é semelhante ao de várias das principais criptomoedas que visam melhorar velocidades de transação sobre plataformas existentes.

O relatório acrescentou que quatro dos cinco pesquisadores que escreveram o artigo para a Chainspace estavam juntando-se ao grupo de blockchain do Facebook. O Facebook confirmou anteriormente seus planos relacionados à blockchain:

“Como muitas outras empresas, o Facebook está explorando maneiras de alavancar o poder da tecnologia blockchain. Esta nova equipe pequena está explorando muitos aplicativos diferentes. Não temos mais nada para compartilhar.”

A empresa de mídia social acrescentou que não houve aquisição da tecnologia da Chainspace, apenas o pessoal. Também não houve menção ao financiamento, embora a Chainspace estivesse em processo de levantar uma rodada inicial de financiamento de menos de US$4 milhões, de acordo com o site Cheddar.

Esta não é a primeira vez que o Facebook mira o ecossistema blockchain. Sua própria divisão relacionada à tecnologia emprega atualmente cerca de 40 pessoas e deve expandir-se novamente este ano. Outras aquisições estão em jogo e o Facebook já realizou conversas com a plataforma de pagamentos baseada em blockchain Algorand.

Como publicado anteriormente pela Bloomberg, o Facebook já está explorando sua própria criptomoeda, que seria usada para remessas em sua plataforma de mensagens WhatsApp em mercados selecionados inicialmente. A nova criptomoeda provavelmente será uma stablecoin baseada no dólar, que competirá com o Tether.

A empresa tem sido afetada recentemente por questões de privacidade, de modo que não seria uma plataforma ideal para moedas descentralizadas. Qualquer que seja a criptomoeda que o Facebook eventualmente poderá lançar, é provável que seja altamente centralizada e controlada pela empresa. A empresa foi acusada de censura e manipulação no passado, juntamente com a criação de dados pessoais, que faz do Facebook a antítese completa das criptomoedas.

Leia também: Plataforma de e-commerce com blockchain lança rede social focada em privacidade do usuário

Fonte: Facebook dá mais um passo em direção às criptomoedas